CASA B+B

Circulações verticais concebidas como promenades arquitetônicos se tornaram experimentações recorrentes nas obras do studio mk27 a partir de 2010. A questão baliza também projetos como a Casa Rampa (2011-2015) e a Casa Fio (2010-2015).
Na Casa B+B, o acesso formal à área social se faz por um percurso em rampa, resguardada lateralmente por elementos vazados. Esses blocos de concreto, desenhados especificamente para a obra, criam diferentes efeitos de luz a cada momento do dia e do ano.
O plano inclinado atirantado em dois lances de 14,50 m, 1,10 m de largura e 11% de inclinação, estende a transição interior-exterior e altera a percepção do tempo na arquitetura a partir de uma mudança cerimonial entre os ambientes. Há uma indefinição sobre o carácter desse espaço intersticial da rampa: interno ou externo?
A organização da planta da B+B traz uma inversão da divisão programática em andares se comparada com outros projetos do mk27. Os quartos ocupam o andar térreo, em direta relação com o jardim, e a área social, por sua vez, fica no primeiro piso.
Uma porta deslizante de 3,5m permite que a cozinha se abra para a mesa de jantar e a bancada de preparação dos alimentos fica diante de uma janela que mira a rampa, tornando a cozinha um espaço iluminado e de agradável permanência.
Gabriel Kogan

CASA B+B

local > são paulo . sp . brasil
projeto > março . 2010
conclusão > janeiro . 2014
terreno > 605 m2
área construída > 683 m2
-
arquitetura > studio mk27 . galeria arquitetos
autor > marcio kogan . fernanda neiva
co-autora > renata furlanetto
interiores > diana radomysler
equipe de arquitetura > julia pinheiro ribeiro
equipe de comunicação > carlos costa . laura guedes . mariana simas
-
paisagismo > renata tilli
engenharia estrutural > benedicts engenharia
construtora > fairbanks e pilnik
-
fotógrafo > fernando guerra

Circulações verticais concebidas como promenades arquitetônicos se tornaram experimentações recorrentes nas obras do studio mk27 a partir de 2010. A questão baliza também projetos como a Casa Rampa (2011-2015) e a Casa Fio (2010-2015).
Na Casa B+B, o acesso formal à área social se faz por um percurso em rampa, resguardada lateralmente por elementos vazados. Esses blocos de concreto, desenhados especificamente para a obra, criam diferentes efeitos de luz a cada momento do dia e do ano.
O plano inclinado atirantado em dois lances de 14,50 m, 1,10 m de largura e 11% de inclinação, estende a transição interior-exterior e altera a percepção do tempo na arquitetura a partir de uma mudança cerimonial entre os ambientes. Há uma indefinição sobre o carácter desse espaço intersticial da rampa: interno ou externo?
A organização da planta da B+B traz uma inversão da divisão programática em andares se comparada com outros projetos do mk27. Os quartos ocupam o andar térreo, em direta relação com o jardim, e a área social, por sua vez, fica no primeiro piso.
Uma porta deslizante de 3,5m permite que a cozinha se abra para a mesa de jantar e a bancada de preparação dos alimentos fica diante de uma janela que mira a rampa, tornando a cozinha um espaço iluminado e de agradável permanência.
Gabriel Kogan