CASA DOS IPÊS

Arquitetura e desenho de interiores são indissociáveis para o studio mk27. Pensadas uma como extensão da outra desde os primeiros rascunhos, conferem unidade para as proposições arquitetônicas da escolha dos móveis ao desenho de implantação, fachada, detalhes e planta.

Oscar Niemeyer em 1997 refletiu sobre a falsa contradição entre arquitetura de interiores e arquitetura do edifício: “Quando a gente faz um projeto, pensa-se que a decoração é uma coisa qualquer, que não tem grande importância para a arquitetura; mas ela é suficiente para destruir a arquitetura! O importante na decoração são os espaços vazios, o espaço entre um grupo e outro”.

Para além de destruir a arquitetura, como Niemeyer afirma, o desenho de interiores pode catalizar a espacialidade de um edifício; explicitar as intenções do desenho; e realizar funcionalmente as potencialidades dos seus usos.

Na Casa dos Ipês, o layout da sala explora radicalmente a continuidade espacial: um sofá de 9 metros lineares de comprimento organiza a planta e sugere usos livres para o dia-a-dia e para dias de festas. A disposição das luminárias, sofás, poltronas e estantes criam perspectivas visuais livres, harmônicas com a estruturação do espaço e com as premissas arquitetônicas.

Gabriel Kogan

CASA DOS IPÊS

local > são paulo . sp . brasil
projeto > janeiro . 2009
conclusão > junho . 2011
terreno > 1.041 m2
área construída > 1.343 m2
-
arquitetura e interiores> studio mk27
autor > marcio kogan
co-autor > lair reis
interiores > diana radomysler
equipe de arquitetura > henrique bustamante . maria cristina motta . ricardo ariza
equipe de interiores > carolina castroviejo
equipe de comunicação > mariana simas
-
paisagismo > isabel duprat
engenharia estrutural > leão e associados
construtora > lock engenharia
-
fotógrafo > reinaldo cóser

Arquitetura e desenho de interiores são indissociáveis para o studio mk27. Pensadas uma como extensão da outra desde os primeiros rascunhos, conferem unidade para as proposições arquitetônicas da escolha dos móveis ao desenho de implantação, fachada, detalhes e planta.

Oscar Niemeyer em 1997 refletiu sobre a falsa contradição entre arquitetura de interiores e arquitetura do edifício: “Quando a gente faz um projeto, pensa-se que a decoração é uma coisa qualquer, que não tem grande importância para a arquitetura; mas ela é suficiente para destruir a arquitetura! O importante na decoração são os espaços vazios, o espaço entre um grupo e outro”.

Para além de destruir a arquitetura, como Niemeyer afirma, o desenho de interiores pode catalizar a espacialidade de um edifício; explicitar as intenções do desenho; e realizar funcionalmente as potencialidades dos seus usos.

Na Casa dos Ipês, o layout da sala explora radicalmente a continuidade espacial: um sofá de 9 metros lineares de comprimento organiza a planta e sugere usos livres para o dia-a-dia e para dias de festas. A disposição das luminárias, sofás, poltronas e estantes criam perspectivas visuais livres, harmônicas com a estruturação do espaço e com as premissas arquitetônicas.

Gabriel Kogan