HOTEL LA PENÍNSULA

Procuramos autenticidade, aldeias reais com pessoas reais, respeitamos a forte personalidade local. Queremos boho glam, não resorts de engorda com tudo incluído. Somos hippies, embora saibamos exatamente como é o conforto.

A península, uma entidade geológica emerge como uma grande rocha à nossa frente. A arquitetura abraça os dois picos como um horizonte construído. Andamos por baixo e todo o oceano é revelado. Água e solo em suas extremidades. O céu é alto e a luz recortada brilha através das persianas. À medida que subimos, a realidade é reestruturada e, finalmente, conseguimos apreender a imensidão que temos pela frente.

Não podemos acreditar quanta água nos rodeia. Outro passeio rápido por caminhos suspensos nos leva a um passeio aventureiro. As casas parecem se misturar à selva. Arquitetura e natureza de mãos dadas, sem sobreposições nem submissões.

Sem cortes, nem preenchimentos. Os edifícios são colocados no ritmo da topografia e são feitos exclusivamente de portas e telhados, projetados para liberar para não prender. Eles são estreitos, aproximando-os do chão, mas generosamente largos, permanecendo abertos aos céus.

Studio MK27

HOTEL LA PENÍNSULA

local > san pancho. méxico
projeto > fevereiro . 2019
terreno > 97.887,816 m2
area contruída > 30.000 m2
-
arquitetura > studio mk27
concepção > equipe studio mk27
autor > marcio kogan
co-autora > marcio tanaka . renata furlanetto . suzana glogowski
interiores > diana radomysler
equipe de projeto > equipe studio mk27
equipe de interiores > pedro ribeiro
equipe de comunicação > carlos costa . laura guedes . mariana simas . tamara lichtenstein
-
render > blackhaus studio . eduardo martorelli

Procuramos autenticidade, aldeias reais com pessoas reais, respeitamos a forte personalidade local. Queremos boho glam, não resorts de engorda com tudo incluído. Somos hippies, embora saibamos exatamente como é o conforto.

A península, uma entidade geológica emerge como uma grande rocha à nossa frente. A arquitetura abraça os dois picos como um horizonte construído. Andamos por baixo e todo o oceano é revelado. Água e solo em suas extremidades. O céu é alto e a luz recortada brilha através das persianas. À medida que subimos, a realidade é reestruturada e, finalmente, conseguimos apreender a imensidão que temos pela frente.

Não podemos acreditar quanta água nos rodeia. Outro passeio rápido por caminhos suspensos nos leva a um passeio aventureiro. As casas parecem se misturar à selva. Arquitetura e natureza de mãos dadas, sem sobreposições nem submissões.

Sem cortes, nem preenchimentos. Os edifícios são colocados no ritmo da topografia e são feitos exclusivamente de portas e telhados, projetados para liberar para não prender. Eles são estreitos, aproximando-os do chão, mas generosamente largos, permanecendo abertos aos céus.

Studio MK27